Assalto em familia, com a cunhadinha.

O caso que passo a contar, aconteceu no ano de 1999, sou casado à 15 anos. Quando ocorreu, era casado à 6 anos, na época eu tinha 35 anos e Ingrid, minha esposa tinha 34 anos, sempre fomos muito felizes e sexualmente ativos, Ingrid era meio reprimida e puritana quando a conheci, com o tempo fui conseguindo soltá-la, fazíamos sexo regularmente mas nunca tivemos grandes aventuras. Temos uma vida estável sou empresário no ramo do papel e Ingrid trabalha no maior jornal em circulação em Porto alegre, onde moramos. Possuímos uma casa no litoral gaúcho aonde passamos o verão, sempre passamos o natal com a minha família e o ano novo com a família de Ingrid, que sempre vem pelo dia 30 de dezembro, e fica uns quinze dias conosco, Ingrid tem duas irmãs uma casada com dois filhos e a outra, caçula, na época, era noiva e sempre vinha com a mãe para o ano novo, naquele ano, Tatiana, a irmã mais nova veio uns dias antes para juntos irmos para a praia para arrumarmos a casa, a família vinha 5 dias após.
Tatiana, tinha 26 anos, é enfermeira, morena, linda tipo Juliana Paes, um pouco mais magra, boca carnuda aproximadamente 1,60 m, perfeita, tem um par de seios lindos e uma bundinha pequena mas maravilhosa, sempre fui louco por ela, cansei de dizer que ela reunia as duas maiores fantasias de um homem juntas, a cunhada e a enfermeira. Minha esposa também é muito bonita tem 1,67m, cabelos crespos tem a pele mais branca que a de Tati, tem seios maravilhosos, adoro seus bicos, a bucetinha de minha esposa é muito gostosa, ela sempre fica muito molhadinha, ela tem uns pequenos lábios avantajados, que ela não gosta e eu adoro, sempre fui muito esportista tenho um corpo, modéstia a parte, bem bacana tenho 1,85m, 80kg, sou atlético mas não bombado sempre fiz artes marciais, na época praticava boxe 4 vezes por semana, Ingrid adora me exibir para as amigas, tenho um pau bacana, nada de mais no tamanho, 17 cm, mas o que as mulheres adoram era a largura meu pau tem 6 cm de largura é bem grosso, dificilmente uma mulher fecha a mão nele, e vê-las chupando é delicioso pois mal cabe na boca. Voltando ao caso fomos para praia logo após o natal, assim que Tati chegou, arrumamos a casa e resolvi, como bom gaúcho, fazer um churrasquinho naquela noite, fechamos a casa e fomos para o pátio que é junto com a garagem e lá tem a churrasqueira com a entrada pela cozinha da casa, tem uma mesa bem grande ao lado da garagem em frente a churrasqueira, fiquei lá bebendo com Tati, assando uma carninha e jogando carta com a cunhadinha, minha esposa foi tomar um banho, era mais ou menos 11 da noite, quando fomos surpreendidos no pátio por dois homens, eles pularam a cerca nos fundos da casa e entraram pala garagem tendo acesso aonde nos estávamos, os dois portavam armas, um revolver calibre 38, e uma pistola, aparentemente 380, que desconfiei ser de brinquedo, anunciaram o assalto, Tati ficou em pânico tentei acalmá-la e perguntei o que queriam, pedi para não machucar ninguém que colaboraríamos com tudo, o que portava o 38 era loiro alto devia ter 1,95m, era mais alto que eu, logo vi que era o líder pois era ele que mandava no outro, que era mulato baixinho devia der 1,70m no máximo, este estava muito nervoso e bravo, nos levaram para dentro da casa, na sala, o loiro perguntou se havia mais alguém dentro de casa, disse que havia a minha esposa que estava no quarto e pedi para não incomodá-la, imediatamente o loiro mandou o baixinho buscá-la, fiz menção de levantar, o loiro apontou a arma para mim e disse para me acalmar que não iria machucar ninguém e que mais do que nós queria sair dali o mais rápido possível, sentei.
Quando o baixinho voltou com a minha esposa ela estava nua toda molhada, do banho, tremia de medo, olhei para ela e vi que aquilo não iria acabar bem, ela estava maravilhosa, cheirosinha, os seios rijos, os bicos duros a bucetinha depiladinha, o baixinho ja colocava a mão nos seios dela, olhei para o líder e pedi que parassem com isso, senão teria de reagir, calmamente ele me olhou e disse que poderia ser feito de duas maneiras uma com violência, que ele disse não querer ou outra com violência que ninguém queria. Nesse momento sentia raiva com um misto de tesão que não conseguia explicar, ele pegou uma fita tape, que usava na prancha de surfe e pediu que Tati amarasse minhas mãos, sempre apontando a arma e mantendo distancia, é impressionante como passa tudo pela cabeça, pensei em reagir levantei ele engatilhou a arma, minha esposa tremia, e foi aí que tive uma grande surpresa Tati se colocou entre nós dois e disse que cooperaria que eu não reagiria e pediu para todos se acalmarem, ela me olhou pediu para eu sentar colocou a fita nos meus punhos, sentei no sofá, enquanto o baixinho a puxava, ele estava enlouquecido ele fez ela ajoelhar e foi logo puxando o pau para fora colocando em sua boca, fiquei apavorado o baixinho tinha um pau imenso devia ter uns 20 cm de comprimento, mas conseguia ser mais largo que o meu era monstruoso na largura devia ter uns 7 cm de largura Tati não conseguia chupá-lo, só batia uma punhetinha e lambia ele por inteiro, as bolas do homem pareciam uma bola de sinuca, nunca vi igual, olhei para o lado e vi a minha esposa sendo obrigada a chupar o pau do chefe, para o meu alívio o pinto daquele homem que era alto era quase uma piada, devia ter uns 12 cm, era do tamanho do outro mole, minha esposa o chupava e ele me olhava sempre com arma em punho e perguntava se estava gostando, eu quieto só olhando com muita raiva, mas com muito tesão ele notou o volume no meu calção e tirou um sarro com o baixinho - olha o corno tá gostando.
O baixinho quase matava a cunhadinha, que tanto desejei, sufocada com aquele pição, quando tive outra grande surpresa o chefe olhou para o baixinho e mandou ele cortar a fita nos meus punhos, o baixinho olhou para ele e ele me disse podes aproveitar ou ficar olhando se reagires meto bala na esposinha, assim foi feito, ele mandou eu meter a mão na cunhadinha que estava com aquele pauzão na boca e a bundinha virada para mim, delicadamente fui tirando o shortinho que ela usava e a sua calcinha, ao colocar a mão naquela bucetinha que tanto sonhava tive outra surpresa ela estava encharcada, não aguentei aquela putinha estava gostando daquele cacetão na boca comecei a meter um, dois, três dedos naquela racha ela gemia e chupava o baixinho, que era meio afobado, logo virou ela e me disse que ele comia primeiro, mandou ela me chupar ela obedeceu e logo estava com o meu pau na boca, fiquei só olhando ela com dois paus bem grossos, não pensei que ela aguentasse, ela olhou para o loiro e pediu que colocassem camisinha eu olhei para ele, ele concordou, o baixinho louco querendo meter, ela pegou um pacote de camisinha que tinha na bolsa e com muuuiiiitttaaa dificuldade ensacou o piçudo, o baixinho meteu aquele cacetão de uma só vez ela gritou e mandou ele meter começou a me chupar loucamente e ele metendo pra valer eu ouvia o barulho daquele cacete rasgando ela ao meio e ela me chupando, meti a mão nos seus seios e fiquei apertando os biquinhos, que delicia, me virei e olhei a minha mulher que chupava aquele pintinho, comecei a notar que ela chupava já como me chupava, como se estivesse começando a gostar do ocorrido, logo o loiro já estava metendo na minha mulher de quatro (com camisinha), ela rebolava e gemia, fiquei com ciúmes jamais imaginei ver a esposinha ser comida na minha frente por outro, o baixinho não demorou e logo gozou, tirou o pau de dentro da cunhadinha tirou a camisinha jogou longe e mandou ela chupar de novo quando vi aquela bucetinha arrombada na minha frente, toda vermelhinha fui meter e o loiro mandou eu parar, queria ver eu comer o cú da cunhadinha, enlouqueci, passei o pau pela bucetinha meti um pouquinho para melar e comecei a forçar o meu cacete, que é grosso, ela gemia abria as nadegas com as mãos e chupava o jumento foi entrando e ela trememdo, quando entrou todo, não acreditei, ela rebolava, gemia, chupava o cavalo e comecou a tocar no grelinho estava enlouquecida acho que gozamos junto, ela estremeceu e soltou um gritinho eu gozei dentro daquele cuzinho enchendo ela com o meu leite, que coisa maravilhosa.
quando olhei para o lado vi que o loiro havia colocado a minha esposa em cima dele ela mau se mexia e o pau escapava, ele deliciado chupando aqueles peitos que eu sei como são gostosos, os bicos delas estavam duros, enormes, o baixinho levantou e colocou aquele pauzão na boca da minha esposa ela comecou a chupá-lo e assim vi que ela gozou, aquela cadela, conhecia bem os seus sintomas quando gozava, graças a deus o pau do jumento não levantou novamente, o loiro tirou a pau da bucetinha da minha esposa colocou na sua boca e assim o filho da mãe gozou na boca da minha esposa. Eles se arrumaram pegaram celulares, dinheiro, cheque, cartões, etc.. colocaram no meu carro e antes de irem embora o loiro me olhou, agradeceu, pediu desculpas e disse que largariam o meu carro intacto. Depois de sairem ficamos algum tempo calados, fomos tomar banho juntos, isto conto em entra história, demos queixa mas não contamos a parte do sexo, nunca falamos para ninguém, desde então, mesmo casada, a cunhadimha sempre vem antes da família para "ajudar a arrumar a casa da praia".

5 comentários:

Ricardo Angelo disse...

Caro amigo quero conhecer sua esposa e sua cunhadinha podemos combinar algo pra rolar entre nós quando estiverem todos juntos!! entre em contato e vamos conversar sobre as possibilidades!! verg2eg@hotmail.com

Maria Dos Anjos Moreira disse...

adoro um pau grosso, que delícia de conto.

corno comedor Antonio disse...

sou casado e estou a procura de casais onde o esposo gosta de ser corno manso. meu zap é 062985003599

corno comedor Antonio disse...

sou casado e estou a procura de casais onde o esposo gosta de ser corno manso. meu zap é 062985003599

Donizeti A.Ferreira disse...

Adorei gostaria de conhecer vocês e uma pena que mora em outra cidade seria ótimo se morasse em são Paulo capital manda fotos dá sua gata para mim se tiver alguma mulher que precisa de um homem casado e muito safado tenho um pau de dezenove cm moro em são Paulo capital e adoro gordinhas casadas de preferência evangelica não importa a idade donemagrao@gmail.com tel 973777431

 
©2009 Casa dos contos eróticos 1.0 | by TNB